terça-feira, 7 de setembro de 2010

EU FUI...EU SOU SOU...INTENSA ...POR IDÊNIA...


''Nasci numa cidade de Sergipe chamada ,Simão Dias,com 16 meses de vida tive polio e apartir dai passei a travar uma batalha pra voltar a andar.
Médicos e médicos era essa a minha peregrinação...
Aos 12 anos vim pra Aracaju...
Nunca pensei muito no preconceito das pessoas...Eu era o que podemos chamar de corajosa...
Saia me divertia ...E como me divertia...
Eu sempre fui ligada a família...Amigos e família eram minhas grandes paixões...
Aos 29 anos engravidei...Casei...
Não deveria ter casado...Deveria ter assumido minha gravidez e pronto...
Cai numa depressão profunda e apartir dai comecei a sentir na pele o preconceito...
Famílias que não queriam uma união pelo fato de eu ser deficiente...
Casamento sem amor...Mesmice,preconceito e depressão.
Eu me isolei do mundo ...Durante 12 anos eu esqueci do mundo...Esqueci de mim...
Quando completei 10 anos de casada eu resolvi ir a um psicólogo e fiz por 2 anos tratamento pra redescobrir em mim aquela que havia ficado presa no passado ...
Descobri muita coisa...
Descobri,por exemplo,que nunca havia amado meu marido ...Que apesar dele não ser ruim tbm não era o que eu queria...
e que eu queria era muito mais...
Então resolvi me separar e por 6 meses eu me preparei pra isso...
Até que dei um basta num casamento sem amor...
Então o preconceito famíliar foi cruel comigo ...
Eles nunca admitiram que uma deficiente ,ainda por cima,mulher resolvesse se separar...
A primeira pergunta que me fizeram foi :
Quem vai ficar com vc?
Vc dá trabalho!!!
Confesso que não parei nenhum momento pra saber se isso era verdade...
Eu havia decidido me separar mesmo que a minha família inteira quisesse o contrário...
Hoje estou aqui...
30 kg mais magra e mais feliz...
Um pouco medrosa,mas decidida!
E não me arrependo ...
Quero viver...
Espero viver tudo e um pouco mais...
Eu espero muito pra mim e todos nós...Espero apenas ser a mulher e não a deficiente ...
E tenho a certeza que logo irei viver isso...
Espero que todas nós sejamos respeitadas como pessoa e nada de peninha!!
Isso é desnescessário ...
Hoje quando vejo uma garota de 10,15 anos numa cadeira de rodas eu penso:
EU NÃO POSSO DESISTIR...Por mim e por elas eu preciso continuar...
Eu vou continuar tentando.
Porque não é apenas por nós mesmas que temos que lutar é pelos que virão...
É pelo valor do ser humano...
É pelo respeito...
Se for pela amizade então seremos amigos...
Se for pela ousadia então seremos ousadas...
Se for pelo grito então iremos gritar...
Porque essas meninas que mais tarde serão mulheres vão querer o que queremos...
A possibilidade de serem elas mesmas ...
De sair,de amar ,de viver,até de sofrer...
E mesmo que minha tentativa não tenha dado grandes frutos eu vou estar melhor que antes...
Eu vou estar forte...Porque se tem uma coisa em que eu aprendi durante esse tempo é que
O maior preconceito esta dentro de nós...
Assim como a maior das armas ...
Eu aprendi a enxergar o íntimo das pessoas e assim me permito e as permito serem elas mesmas,
Na minha vida comum ,pq ela não é diferente da maioria ,
Não faço questão que me amem ou que me odeiem ...
Eu faço o que posso pra dar o melhor de mim pra elas ...
Não sou muito de esconder o que sinto...
Quando gosto de uma pessoa eu ,simplesmente,digo que gosto.É simples pra mim ,
falar de sentimento...
E acho que gosto disso...
Amo muito meus amigos ...
Quero estar perto deles...Gosto de estar perto deles...
Mas não gosto de invadir sua privacidade...Nem que que invadam a minha...
Sou capaz de ser amiga de alguém que nunca vi...Nunca toquei e mesmo assim
Admira-la como se, sempre,a tivesse conhecido...
Aprendi a valorizar o que cada pessoa tem por dentro...
Uns mais...outros menos mas,todos tem algo a ser valorizado...
Algo a me passar ...Mesmo que na hora eu não entenda ...
Eu sou muito de sentir...
Amo a intensidade dos sentimentos...
Em tudo o que vivi ,vivo e tudo que viverei ...
Eu fui ...
Eu sou intensa...''

4 comentários:

  1. É, Idenia, a vida é madrasta quando quer,mas tb sabe fazer carinho!
    Amei sua historia, ela nao é diferente de muitos q. conhecemos, mas eu gostei foi do seu despreendimento de vc ter dito em palavras,de facil entendimento ,tudo aquilo q. guarda no seu coraçao,mas é como te digo amiga, depressao a gente mesmo tem as armas p/se curar, o q. nao podemos e deixar q. ela tome conta de nós,(eu a chamo de a Outra)nòs é q. temos q. tomar conta dela nao o contrario.
    Por tanto lute, sempre, como eu e tantos mais, provaçoes tem semprte teram e sempre existiram!
    Te amo, minha amiga,vc é demais...
    bjkas

    ResponderExcluir
  2. Faço minhas as palavras de Valéria vc é uma grande mulher....beijos..

    ResponderExcluir
  3. Não,meninas,eu sou uma mulher comum...Nada há de diferente em mim que me diferencie das outras mulheres andantes ou não...Só o preconceito nos torna diferentes...Mas quem passou pelas dificuldades que ja passamos sabe que isso é irreal. O que vejo é mulheres fortes,dispostas a lutar pelos seus ideais...
    beijos

    ResponderExcluir
  4. nossa querida que história linda e de determinação isso ai não deixe que ninguém faça sua cabeça..... e que ninguém crie um obistaculo com a sua limitação pois deficiente tbm é gente e muitas das vezes o def tem mais determinação que muitos normais por ai vc esta de parabéns....
    DEUS abençoe vc sempre

    ResponderExcluir